terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Vai 2014, vem 2015!


"Agora que já passou posso escrever.

Na sexta, dia 5 de setembro, voltei do trabalho mais cedo e fui te pegar na casa da sua vó, já que ela iria pra um casamento aquela noite. Você ainda estava no seu soninho da tarde quando cheguei. 

Acordou todo feliz quando me viu, fui fazer sua vitamina, você tomou normalmente e tudo bem.
Até que pouco tempo depois de tomar a mamadeira você começou a dar chorinhos do nada... achei que era manha...

Até que os choros ganharam corpo. E desespero. Era claro que algo estava errado. Você parecia sentir dor.

Meu primeiro impulso é te abraçar e pegar no colo. Você vem, quer, mas a dor fazia você se afastar... tirei toda a sua roupa. Seu avõ e eu te analisamos da cabeça aos pés... nada diferente. Te levei pra tomar ar... ainda chorando. A essa altura sua vó estava desesperada, era claro que vc sentia dor... mas onde? Te perguntava "machucou onde mã?", mas vc não sabia dizer... até que bateu as duas mãozinha nos ouvidos. Eu conclui, ou era ouvido ou era dor de cabeça.

"Alivium". Remédio pra dor. Dei o cartão pro seu avô correr na farmácia. Eu me segurei o mais forte que podia em minha fé e força pra manter a calma e tentar te consolar ou amenizar sua dor.
Dei o remédio, seu pai chegou, nervosismo a mil de todos, corremos pro hospital.

A alivium fez efeito dando intervalos maiores entre as dores. Eu já chorava. Mas não me netregava ao desespero. As lágrimas caiam, mas eu tinha que segurar a onda e achar a calma.

No hospital, seu choro comoveu a todos. Acho que o meu também... levei vc pra fora pra ver os ônibus e carros, mas nada adiantava.. a recepcionista disse que podíamos entrar antes dos outros (era óbvia a sua dor).

Relatei tudo a médica, ela olhou o ouvido e confirmou a inflamação. Passou mais alivium e um remédio pra gases por causa do barrigão da "mina"... vc tomou e eu fiquei com vc no colo. Seu pai entrou louco, e ao ver que vc estava mais calmo ficou mais aliviado. Eu estava a ponto de explodir em lágrimas. Mas vc ainda ficaria mais 15 minutos pra observarmos o efeito do remédio.

Passado um tempinho, vc mais calmo, a médica passou alivium por mais uns dias, e se doesse de novo, voltar lá pra tomar antibióticos.

Quando saímos, seu pai pegou vc no braço e caminhando até o carro na beira mar eu desabei.. um choro silencioso e ininterrupto.

Voltando a casa da sua avó, vc estava bem. E os avós mais tranquilos... mas minha mãe, sua avó, me enxergou por dentro... e só disse: "chore". Eu desatei num choro que nunca mostrei a ninguém. Me senti culpada... não enxerguei sua dor real.. só depois de muito choro vi que era sério e comecei minha luta interna pra manter a calma e tentar entender o que se passava.. pra daí ir no hospital... enfim... achei que eu deveria ter notado logo sua dor de ouvido. E o outro motivo do choro foi o desaguar das lágrimas presas por me ver tão incapaz de conter sua dor na hora da espera pra sermos atendidos... eu nunca vou esquecer aquilo. É desesperador. è cortante mesmo, acho que a pior coisa que já senti... acho que o que chegou perto foi um pãnico de alguns segundos de quando uma vez, no shopping, na riachuelo, vc correu da sua avó e sumiu entre as araras... ela gritou por vc e meu sangue simplesmente desceu pro pé no mesmo segundo que meu coração parou; gelei até a alma. 

Deus me livre de te perder de qlq maneira, ou de me sentir incapaz de te "salvar" novamente... por favor Pai do Céu... ajuda aí..."


---------------------------x----------------------------

Eu tinha esse desabafo gravado há algum tempo nos meus rascunhos... precisava colocar aqui. Como foi difícil essa fase de doença que vc passou... foi muita barra mesmo... confesso que já tô meio melindrada com a volta às aulas porque sei que seu nariz pode vir escorrendo a qlq momento... e daí,a parece catarro, aparece o medo... pq vc não dorme direito, para de comer, emagrece... e agora nas férias tá aí, gordinho, comendo (mesmo não comendo comida de panela como deveria, desde a fase justamente da bronquite... que foi depois da otite... enfim, tá comendo algo! e tome sustagem... enfim...), sem catarro... fica assim direto xululu! ^^

Mas o que importa é que 2014 passou cheio de grandes novidades...
O temido início da escola chegou... chorei, vc chorou, gripou (meses dps vc ainda estava gripado..¬¬), bateu cabeça no chão, bateu cabeça na mesinha da sala, se jogou no chão, se esticou, disse que não queria ir pra escola, disse que queria ir pra escola, mordeu amiguinha, ignorou tias e amiguinhos, abraçou tias e brincou com amiguinhos, pinta, faz bolinhas de crepon, identifica letras (consoantes melhor que vogais), joga areia colorida na trilha de cola de letrinhas (mamãe pira), puxa sua mochila sozinho, volta com as pernas roxas de tanto subir e descer nos brinquedos da brinquedoteca... e ufa! Na maioria das vezes lanchou direitinho...

E no fim, estava indo pra escola somente com o papai, por sugestão da psicóloga... asism vc faria menos escândalo pra ficar na escola, como fazia em quase todas as vezes que eu ia.. e deu certo. Vamos ver neste próximo início de aulas... (#medo)

São tantas novidades surgindo, paulatinamente, nessa sua nova fase... e nós ligados me cada detalhe...

Você fala muito mais agora. Mesmo depois de sua dentista (caríssima mas muito boa - afinal aguentou seu mega escândalo na hora de abrir a boca... oi?) me sugerir te levar num fonoaudiólogo... acho que vc é tímido com os outros... mas qdo está a vontade desatina a falar... pelo menos em casa, acho que vc fala, e de uns tempos pra cá, muito bem. Mais precisamente após os dois anos e meio, vc desatou a falar palavras certinhas, frases inteiras e copiar expressões dos desenhos que vc gosta... claramente. Fora o vício "Baby finger" e outras coisas em inglês e em idioma Minion (oi? banana bananáááá´...kkkkk), acho que o português sai legal.
prefiro esperar mais, ver como vc se sai na escola, com maior contato e troca de experiências com os amiguinhos... Afinal, se vc puxou a mamãe, vc não é de falar muito msm... ^^

2015 está aí... :)

Vc já é meu menininho agora... ama meus carinhos e seus carrinhos^^, só quer dormir comigo, nem que seja de mão dada... (sim, eu durmo no chão e ele na cama dele - tô tentando acostumar - mas tem que haver contato, já que não deixo ele vir dormir agarrado comigo - fico com dó, mas tento resistir sempre! :/  )... Pede as coisas ("Posso pegar Blanco?", "Pode pegar Dimiti?" - pra eu pegar ele no braço s2 s2 s2 s2 s2 s2 s2...), fala "por favor" matando a gente do coração, ainda bate cabeça pra chamar  atençao, ainda ameaça morder, ainda faz birra e escândalo, mas já deu pra notar que sabe que com a mamãe, na maioria das vezes, não tem folga não... eu sigo firme como posso, procurando paciência (sim, vc me tira do sério em muiitas situações... aff), e tentando ser uma  boa mãe e te dando bom exemplo e educação.
Ainda é um caminho escuro o de educar...  são tantos rótulos, receitas, cobranças... mas, como ando lendo uma psicóloga argentina que tem me ajudado muito nessa caminhada (que ainda tenho muito por ler de seus trabalhos), o princípio de tudo parece ser amor, intuição e liberdade de rótulos. Eu tomo aprendizados de duas avós, avôs, de escritores, de outras mães, mas no fim só somos nós, eu, vc e seu pai. Ainda estou muito longe da situação ideal... mas pelo menos, 2015 promete o fim da minha faculdade, fim de parcela de carro... e eu preciso pensar no seu futuro...  em todos os aspectos. Enfim... no fim, eu quero te ver crescer feliz, com saúde, muito amado e educado... :D... Deus há d eme guiar para que, enquanto eu fizer suas escolhas, elas sejam certas.

Te amo muito meu filho, meu maior presente, missão, aprendizado, minha vida fora de mim...

Bjos (e chuva de beijos que fazem cócegas..^^ )

Mamãe.










Nenhum comentário:

Postar um comentário