quarta-feira, 29 de junho de 2016

2015


Mil anos que não escrevo. Deu saudade, deu vontade, apareceu necessidade... ^^
Estamos aqui em junho de 2016 e a mamãe desnaturada aqui passou e está passando por muitas transformações internas... Influências da própria maternidade, mas não só dela. Da vida que me permeia e das lições que ando tirando de tudo.

Não escrevo aqui desde fim de 2014... Pois bem, 2015 foi um ano de muito trabalho pra mamãe aqui. Fechamento de um grande ciclo da minha vida. Depois de quase 10 anos de faculdade (trabalho e faculdade juntos, transferência de estado de ambos, 1 ano em off por estar doente... enfim, muitos hiatos...), meu primeiro semestre de 2015 foi basicamente dedicado à minha última disciplina de estágio docente e ao meu temido TCC. Meses intensos, juntando tudo isso à trabalho, maternidade, visita de parentes, aniversário do pequeno... tirei uma licença do trabalho nos 3 meses finais do semestre para finalizar o TCC com dedicação exclusiva (nem tanto assim, ehhehe, mãe não deixa de ser mãe nunca), e lá fui eu. Em 14 de julho, aniversário da minha mãe, apresentei o bendito perante a banca. Muita emoção... nunca vou esquecer aquele dia. 15 minutos concentradíssimos apresentando para a banca, outros alunos e professores e.. para o meu pai.
Quando terminei, e a banca começou a falar, fiquei meio que em estado alfa... eles estavam elogiando de verdade!!! Um convite para o mestrado, 3 notas 10 e aquela sensação de sonho realizado. Foi inesquecível e até hoje sou muuuito grata a Deus por tudo aquilo. Foi inesquecível.

No segundo semestre colei grau, fui juramentista, tudo numa noite de alegrias e tristezas. Prefiro focar nas sensações boas e aprender com as ruins. O sofrimento, as decepções e tudo mais são minha luta interna para aprender a lidar... Tenho que aprender a não deixar as exigências e expectativas, minhas e dos outros, determinarem minha vida. Desde então, o foco são altos e baixos nesse aprendizado... 

E a mamãe vem numa busca de escuta interna, de buscar paz, equilíbrio e de ser quem de fato é ou se busca ser, para que isso se reflita numa maternidade consciente e feliz. Uma mãe triste, estressada e etc, com certeza não é nada bom, não é mesmo?

A mamãe está aprendendo a duras penas que não se pode esperar das pessoas. Ainda há muito egoísmo, decepções, orgulhos, machismos... ok, o mundo é de expiação e prova e ainda por cima, cada um em seu grau evolutivo, e aqui vou eu, longe de ser perfeita, mas lutando contra a tendência de esperar reconhecimento, empatia e boa vontade de todos. Além de lutar contra a vontade de se revoltar e sair correndo daqui... Muita fé, oração, reflexão e luta interna pra confiar em Deus e seus desígnios, fazendo minha parte.

E tuuuuuuuuudo isso inevitavelmente se reflete na maternidade. Mamãe lutando pra manter sua linha de raciocínio, por mais que haja tanta gente julgando, criticando e torcendo o nariz...

2015 foi um ano de fechamento de uma fase e início de outra, ano que voceê fez 3 anos e eu fiz 30 anos e aqui estou a refletir sobre a vida inteira, fazendo um balanço de tudo... agora a nova fase prenuncia ser de luta por objetivos, busca por autoconhecimento e conscientização da vida, e de sonhos... tudo isso permeado pelo aprendizado diário que a maternidade proporciona. Luz da minha vida, prumo pra me colocar no eixo, é você, meu filho.






Nenhum comentário:

Postar um comentário